Consertar o mundo

Conta-se a história de um cientista que vivia preocupado com os problemas do mundo e estava decidio a encontrar meios de minimizá-los. Passava os dias no laboratório em busca de respostas para as suas dúvidas.

Certo dia, o filho de sete anos, invadiu o laboratório decidido a ajudar o pai a trabalhar. O cientista, nervoso pela interrupção, tentou que o filho fosse brincar para outro lugar, mas isso não demoveu o pequenote.

O cientista procurou então algo que pudesse dar ao filho com o objetivo de o distrair.

De repente, deparou-se com um mapa do mundo que vinha numa revista. Com o auxílio de uma tesoura, recortou o mapa em vários pedaços e, junto com um rolo de fita cola, entregou ao filho dizendo:

– Filho, gostas de quebra-cabeças? Então vou dar-te o mundo para consertares. Aqui está o mundo todo quebrado. Vê se consegues consertá-lo direitinho. Mas tens de o fazer sozinho.

O pai acreditou que o filho levaria dias para recompor o mapa porém, algumas horas depois, ouviu a voz do filho que o chamava calmamente:

– Pai, pai, já fiz tudo.

Ao princípio o pai não deu crédito às palavras do filho. Seria impossível na sua idade ter conseguido recompor um mapa que jamais tinha visto.

Relutante, o cientista levantou os olhos do que estava a fazer, certo de que veria um trabalho digno de uma criança.

Para sua surpresa, o mapa estava completo. Todos os pedaços tinham sido colocados nos devidos lugares. Como tinha sido ele capaz?

– Filho, como conseguiste se não sabias como era o mundo?

– Pai, eu não sabia como era o mundo, mas quando tiraste o papel da revista para recortar, eu vi que do outro lado havia a figura de um homem. Quando me deste o mundo para consertar, eu tentei, mas não consegui. Foi aí que me lembrei da figura atrás do mundo, virei os recortes e comecei a consertar o homem, que eu sabia como era. Quando consegui consertar o homem, virei a folha e vi que tinha consertado o mundo.

(autor desconhecido)

Na vida, não adianta reclamar dos outros, se não paramos primeiro para mudar o que está errado em nós mesmos.

 

L.O

SejaaMudanca

Anúncios

a paz perfeita

Conta-se a história de um reino que ofereceu um grande prémio ao artista que fosse capaz de captar numa pintura a paz perfeita. Foram muitos os artistas que tentaram. O rei observou e admirou todas as pinturas, mas houve apenas duas de que ele realmente gostou.

A primeira era um lago muito tranquilo. O lago era um espelho perfeito onde se refletiam plácidas montanhas que o rodeavam. Sobre elas encontrava-se um céu muito azul com ténues nuvens brancas. Todos os que olhavam para essa pintura viam refletida uma paz muito grande.

A segunda pintura tinha também montanhas. Mas estas eram escabrosas e estavam despidas de vegetação. Sobre elas havia um céu tempestuoso do qual se precipitava um forte aguaceiro com faíscas e trovões. Montanha abaixo, parecia descer uma turbulenta torrente de água. Toda a imagem era tudo menos pacífica.

Porém, um olhar mais atento, detetaria atrás da cascata, um arbusto crescendo de uma fenda na rocha. Nesse arbusto encontrava-se um ninho e ali, no meio do ruído e da violência da tempestade, estava um passarinho placidamente sentado no seu ninho.

Esta foi a pintura escolhida pelo rei que explicou:

“Paz não significa estar num lugar sem ruídos, sem problemas, sem trabalho árduo ou sem dor. Paz significa que, apesar de estar no meio de tudo isso, permanecemos calmos em nosso coração. Este é o verdadeiro significado da paz, a PAZ PERFEITA.

L.O

joao-1633

um dia a seguir a outro.

 

Se pensarmos bem, a euforia vivida na passagem de ano, não faz grande sentido..

Falamos de um dia que termina e outro que começa, como acontece sempre.

Apenas um dia a seguir a outro.

A verdade é que, nos agarramos a tudo que possa transmitir esperança, mesmo que se trate de uma ilusão.

Como se findando um ano o mal ficasse para trás , os problemas desaparecessem e tudo ficasse no lugar correto.

12 meses passaram.

Um ano duro, de incertezas, dor, mais lágrimas que sorrisos.

Um ano de questões que ficam por responder, de certezas que se perdem, de dúvidas que nascem.

No entanto, um ano bom. Um ano em que afetos se renovam, o amor se solidifica e somos relembrados, mais uma vez, do que realmente importa e de quem realmente faz sentido ter nas nossas vidas.

A esperança renovada, de que melhores dias virão, acalenta-nos a alma e serena-nos o coração.

A certeza de que, as respostas que precisamos, necessitam de paciência da nossa parte e a firme convicção de que, a gratidão transforma o que temos em suficiente.

O que desejo é um ano de esperança renovada, de afetos firmados no peito e paz no coração.

Que seja leve e feliz.

L.O

60

tic tac

Faltam 6 dias para a o Natal e ainda não tratei de quase nada.

E não faz mal.. o essencial está tratado.

A casa estará cheia de sorrisos, abraços, amor, afecto e alegria por estarmos juntos.

A àrvore estará maravilhosamente decorada em tons dourado e vermelho, mas nenhuma daquelas bolas ou luzes brilhará mais que a nossa alegria, sentados à mesa uns com os outros, com as palermices do costume, as piadas de sempre, que apesar de serem ouvidas uma e outra vez, são sempre motivo de galhofa, as histórias contadas por aqueles que viveram tempos em que os mais novos não existiam, as memórias de natais passados, de pessoas que partiram, mas que permanecem em nós, a saudade..sempre a saudade, presente nas datas felizes.

Sentados naquela mesa celebraremos a alegria do Nascimento de Jesus. Celebraremos a esperança que esse nascimento nos traz. Celebraremos o amor, a amizade e o cuidado que nos une.  Celebraremos a certeza de que, apesar do peso dos dias difíceis, dias felizes surgirão e que apesar dos nãos da vida, temos sempre um colo de amor onde repousar.

Mais do que qualquer outra coisa, esta é uma época, para serenar corações.

Faltam 6 dias para a celebração mais bonita que, para mim, existe e mesmo que esteja quase tudo por tratar, não faz mal..o mais importante está feito.

Uma casa cheia de amor é uma casa onde nada falta.

L.O

feliz-natal

 

 

crer sem ver

Acredito em milagres.

Seria tontice não acreditar, olhando para a minha vida ou à minha volta.

Acreditar por fé é talvez das coisas mais difíceis para o ser humano.

Como posso acreditar se não vejo?

Isso serve muitas vezes como argumento para os que não acreditam na existência de Deus.

Ninguém viu Deus, logo Ele não existe.

Bem, também nunca ninguém viu a dor e garanto que se mandar com um tijolo à cabeça de alguém, essa pessoa acredita na dor.

Acreditar em milagres é também confiar na Vontade e Soberania Daquele que faz com que os milagres aconteçam.

Acredito em Deus, porque O Sinto e O vejo nas mais pequenas coisas.

Também acredito na dor, porque a sinto por vezes.

No entanto, a paz que temos quando acreditamos sem ver, é incrível.

Há coisas que não são possiveis de entender.

É natural que assim seja.. Conhecemos o nosso passado e presente, mas o nosso futuro, esse, está completamente fora do nosso alcance visual.

Planeamos é certo, mas que garantias temos que chegaremos ao dia de amanhã?

Podemos sonhar e nunca ver os nossos sonhos realizados, por maior e firme que seja a nossa luta.

Ou podemos sonhar e apesar de parecer impossivel aos olhos humanos, o milagre acontecer.

Garantidamente, a primeira realidade será doloroso se não tivermos a capacidade de acreditar sem ver, de confiar sem certeza alguma do que virá e de esperar sem qualquer dúvida, que o que vem, será sempre melhor do que sonhamos.

Jesus olhou para eles e respondeu: “Para o homem é impossível, mas para Deus todas as coisas são possíveis”.

Mateus 19:26

L.O

1459724_586198744768198_634209187_n

 

 

 

Foi o silêncio que contou.

Há batalhas que se vencem em silêncio e há silêncios que nos fazem perder a vontade de batalhar.
Há silêncios que nunca vamos entender e outros que precisamos aprender a respeitar.
Há silêncios que falam quando as palavras tendem a falhar e há silêncios que nos ensinam a esperar e confiar.
Talvez o silêncio de Deus seja dos mais difíceis de entender.
Por vezes fazemos tantas perguntas, para as quais não estamos preparados para ouvir resposta, que o ruído do silêncio de Deus se torna penoso aos nossos ouvidos.

Como Pai que é, Deus lida connosco de variadas formas e às vezes Ele lida connosco através do silêncio.

Mas Ele responde sempre às questões que Lhe colocamos.

Às vezes sim, outras não e algumas com um penoso, espera ainda não é o tempo certo.

É que não é fácil aceitar que o silêncio também é resposta e o óbvio às vezes é tão simples que até nos confunde.

L.O

Fé perdida

Perguntaram-me um dia, a propósito de um texto meu,  como se recupera a fé perdida.

Como se deixa de estar zangado com Deus porque não ouviu as nossas orações?

Como se perdoa quando Ele permitiu aquilo que mais temíamos?

Há uns bons anos que peço a Deus que realize o maior sonho que tenho.

A resposta tem sido não, sucessivamente.

Ele escuta o que peço, disso não tenho dúvidas, mas o sim que desejo, não aparece.

A questão é que nem sempre a resposta às nossas orações pode ser sim..

Na nossa incapacidade de vermos o futuro, torna-se doloroso esperar e entender as respostas de Deus.

Na nossa incapacidade de sabermos o que a vida nos reserva lá mais para a frente, somos tentados a aceitar como certo, que aquilo que desejamos é de facto o melhor para nós.

Seria tão mais fácil, se pudéssemos com o comando da box, avançar para a frente na nossa vida, apenas para dar uma espreitadela..

Aí sim, entenderíamos tanta coisa e tanta dor seria evitada e os não que recebemos fariam sentido.

Tenho um sonho, que não sei se vou realizar.

Se dói? Dói muito..

Se compreendo? Não..

Se já questionei Deus? Tantas vezes..

Porque não perco a fé?

Porque na balança entre o que peço e não recebo e o que tenho de bom que nem sempre mereço, esta ultima opção vence sem margem para dúvidas.

Porque não perco a fé?

Porque Deus já me livrou de tanta coisa que poderia ter sido terrível para mim, se Ele tivesse dito sim aos meus pedidos.

Será que o número de vezes que agradecemos a Deus pelo bom que nos dá, é maior que as vezes que nos entristecemos/revoltamos com o que Ele permite que deixemos de ter?

Porque será que quando tudo vai bem, não nos lembramos de Deus, mas quando tudo desaba, não entendemos porque não nos escuta?

Viver é dificil, principalmente quando carregamos fardos que não devíamos carregar.

Aprender  a esperar, mesmo sem compreender, não é fácil, mas talvez seja o segredo para tornar os dias mais leves.

Quando o coração está quebrado, tudo dói.

Mas o amor cura. O perdão cura.

E Deus nunca desiste de esperar que O procuremos, de verdade, todos os dias e não apenas quando tudo desabou.

Ele não quer um relacionamento de SOS. Ele quer um relacionamento permanente e duradouro. Quando tudo está bem e quando tudo está mal.

A fé recupera-se percebendo que somos demasiado frágeis para viver sem Cristo e que todos os dias temos muito mais do que merecemos.

Nem sempre Deus vai mostrar o chão que vamos pisar, mas a mão Dele vai estar lá.

L.O

fé

basta isto.

Sobre tolerância.

Sobre entender que ninguém é melhor que os outros.

Sobre não falar do que não se sabe.

Sobre cuidarmos das nossas vidas em vez de nos preocuparmos com a dos outros.

Sobre não fazermos julgamentos.

Sobre o Amor…sempre o Amor, acima de tudo o Amor.

FullSizeRender