Fui criada para ser uma mulher feliz.

 

Gostaria de conseguir projetar numa tela, para todos os que me lêem, um pouco da minha infância.

Filhas de pais com poucas posses, eu e a minha irmã éramos sem dúvida alguma riquíssimas!

Contraditório?

Vejamos:

A nossa casa era pequenina, fria, com muita humidade, porém os meus pais tornaram aquele lugar num lugar especial onde nos sentíamos sempre seguras e onde fomos, princesas, bonecas, piratas, professoras, alunas, médicas, cabeleireiras e tudo onde a nossa imaginação nos levasse.

Não tínhamos os brinquedos que queríamos mas os meus pais, muitas vezes exaustos do dia de trabalho, faziam dos nossos serões a melhor parte do nosso dia, brincando connosco, rindo, contando histórias da Bíblia e ouvindo o que tínhamos para dizer,

Não tínhamos carro, mas não era por isso que não chegávamos a todo o lado. Lembro-me que já naquele tempo gostava muito pouco de andar a pé, então o meu pai usava a estratégia de me contar histórias enquanto caminhávamos para me distrair até ao nosso destino ou então, punha-nos às cavalitas e levava-nos. Bem, pensando no meu peso da época, acredito que o meu pai preferisse levar a minha irmã às cavalitas e a mim pela mão  🙂

Não havia comida com fartura ( e muitas das vezes houve apenas para mim e para a minha irmã) mas nunca em tempo algum sentimos a falta de alguma coisa.

No entanto, tão ricas!

A nossa riqueza naquele tempo, continua a ser a que mantemos hoje:

AMOR

Amor que cuida

Amor que abraça

Amor que escuta

Amor que repreende sem humilhar mas sim a corrigir

Amor que busca primeiro o interesse do outro em vez do próprio interesse

Amor que está sempre disposto a dar mesmo que não receba

Amor que perdoa

Amor em pequenos gestos

Amor no pouco como no muito

Amor que não acaba, que não arrefece

Amor todos os dias

Amor em todas as circunstâncias

Fui criada com todas as bases para fazer o correto e o melhor para mim.

Gostaria de vos dizer aqui, agora, que na minha caminhada até aos 39 anos de idade, fiz tudo como devia ser.

Infelizmente isso não seria verdade.

As escolhas erradas que fazemos na nossa vida mudam muitas vezes o rumo daquilo que deveria acontecer e mudam-nos.

Choramos, ficamos frustrados, culpamos o mundo, o tempo, os outros, o governo, etc etc, esquecendo que apenas nós somos responsáveis pelas más escolhas que fazemos.

Nessa altura resta-nos duas opções:

Ficamos caídos sem forças

ou

sacudimos a poeira e começamos do ponto onde caímos, muito mais atentos para não cometermos os mesmos erros.

Importante mesmo é a certeza de carregarmos apenas coisas boas.

Não usar a língua para maldizer os outros, mas para elogiar.

Não alimentar rancores e amargura, que de nada serve senão apenas para nos criar rugas e cabelos brancos.

Não ser interesseiro.

Não nos acharmos melhores que ninguém.

E um dia chegamos lá… ao lugar onde queríamos. Demoramos mais tempo a chegar, é certo, tudo por culpa da nossa casmurrice e por nos acharmos sempre muito sábios e inteligentes.

Depois de lá chegarmos, a caminhada recomeça, rumo a um novo lugar a um novo objectivo.

Pelo caminho, novos obstáculos, novas desilusões, mas também, novas alegrias, novas conquistas e novos desafios.

Tem sido assim no meu caminho, desde o dia em que aprendi a andar.

E em todos os caminhos que trilho, os braços de AMOR dos meus, estão sempre lá, mesmo que não mereça.

Porque o Amor é assim, pelo menos para mim.

Fui criada para ser uma mulher feliz… e sou, muito feliz, porque sou amada.

Até breve.

L.O

 

como-fica-forte-uma-pessoa-quando-esta-segura-de-s-403x403-ngbulm

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Podia ser tão melhor

26 anos depois o música no coração e mais recentemente Avatar deixam de estar no topo dos filmes que jamais deixarei de ver.
Sim, chorei muito ao ponto de me esquecer que estava numa sala cheia de estranhos.
Viver depois de ti.
Tão bom se o mundo fosse um lugar melhor, onde as escolhas não fossem dolorosas, onde o amor fosse verdadeiro e durasse para sempre, onde os sorrisos fossem genuínos e desinteressados e onde pudéssemos usar collants às riscas amarelas e pretas como as abelhas sem que a opinião dos outros nos afetasse.
Neste mundo, garanto, as crianças não seriam veteranas de guerra aos 5 anos incapazes até de conseguir chorar depois de uma bomba ter rebentado com o único lugar que conhecem e onde acreditam estar seguras.
Neste mundo as pessoas seria estupendamente boas umas para as outras e não tão estupidamente más como são no nosso mundo.

Até breve
L.O

Sem olhar para trás

Se não te faz sorrir, então não é o que mereces.

Se te inquieta em vez de serenar, não é o que precisas.

Se te impede de sonhar, não é o que te faz falta.

Entao:

com fé, olha para a frente.. O melhor está a chegar.

Segue caminho.. Para trás deixa tudo o que te impede de seguir em frente.

recomeça, reconstrói, melhora, muda, faz novas escolhas,erra, volta a tentar as vezes que forem necessárias, mas não fiques agarrado ao que não te faz bem e acima de tudo, confia..

tudo vai dar certo.

image

 

Sobre os que ganham

Ganha quem aprende a esperar pouco dos outros.
Ganha quem aprende a dar pouco valor a que muito fala e pouco diz.
Ganha quem aprende a levantar depois de cair.
Ganha quem aprende quando o silêncio é muito mais importante do que tudo o que se possa dizer.
Ganha quem aprende a dizer adeus a quem não quer ou não sabe estar na nossa vida.
Ganha quem aprende a perdoar, a seguir em frente, guardando a mágoa num baú que não deve mais ser aberto.
Ganha quem sabe esperar, quem sabe o valor da paciência e aceita o que vier.
Ganha quem aprende a dar bom uso às suas asas e a voar sozinho, sem esperar que os outros queiram ou possam acompanhar a nossa viagem.
Ganha quem aprende a amar, apesar das feridas ou cicatrizes do passado.
Ganha quem fala para elogiar e não criticar.
Ganha quem acolhe, nunca quem repele.
Ganha quem gosta de si mesmo, não tendo tempo de falar da vida dos outros.
Ganha quem tem bom coração, sempre, mesmo que por vezes não pareça.

Ate breve.

L.O

image

Gigantes

As ruas estavam apinhadas de gente, que gritava e aplaudia enquanto eles passavam!
A multidão estava em êxtase..
Pudera, não era todos os dias que podiam estar perto deles!
São grandes, nem sempre de estatura, mas de garra e coragem!
Tinham tudo contra eles mas venceram.
Vencem sempre.. Com muito suor, dor, lágrimas de angústia, cansaço extremo, perdas terríveis pelo caminho, mas vencem sempre! Porque são grandes, desculpem, porque são gigantes.
Recebem milhares por esta garra e coragem e são homenageados por todos os líderes dos seus países!
Era uma história maravilhosa esta. Bonita para contarmos aos nossos filhos ou netos. Infelizmente apenas metade desta história é verdade!
São gigantes sim e com dor, angústia e cansaço extremo, lutam uma luta inglória!
Não têm multidões à espera, recebem vergonhosamente mal e não são condecorados.

Às vezes tombam.. Sim os gigantes também tombam, mas a diferença é que se levantam, não desistem e lutam até ao fim!
Os bombeiros estão a pedir água e alimentos que facilmente possam comer para continuarem a lutar.
Penso que isso e orar por eles todos conseguimos fazer!

orem pelos nossos bombeiros.

orem por todos os que estão a ver as suas casas, seus animais e suas economias a desaparecerem.

orem por Portugal e pelos resto do

mundo

Gratidão profunda aos nossos bombeiros, por tudo o que fazem por nós!
Obrigada!
Obrigada!
Obrigada!

image.jpeg

Um dia de cada vez.

Se a pressa é inimiga da perfeição, porque vivemos tão apressados?

Quando a altura do ano que tanto ansiamos chega, com os dias felizes das desejadas férias, largamos o relógio, trocamos a roupa elegante pelos calções e havaianas e vivemos sem horas marcadas, sem regras, como se pudéssemos prolongar os nossos dias.

Tudo se torna melhor …

A nossa cor de pele fica mais bonita, sorrimos mais, comemos melhor, experimentamos novos pratos, novos sabores, saboreamos com prazer pequenos privilégios a que temos acesso quando viajamos,dormimos com mais vontade, temos tempo para conhecer novos lugares, ler aquele livro que andamos para ler desde o início do ano e andamos mais felizes.

Infelizmente no resto do ano as coisas são um pouco diferentes.

Os dias são demasiados desenfreados para termos tempo para o que quer que seja.

Vivemos num ritmo tão alucinante, que uma semana depois do fim das férias as pessoas estão esgotadas e a precisar novamente de férias.

Não há tempo para a família, para cuidar de nós mesmos, para ler, passear ou descansar.

Enche-se os filhos de coisas para que não ocupem muito o pouco tempo dos pais para os afazeres da casa, esquecendo que tempo é o bem mais precioso que os pais podem dar aos filhos.

Não há tempo para visitarmos a família ou os amigos.

Não vamos ao médico porque temos o tempo contado, esquecendo que sem saúde podemos ter todo o tempo do mundo numa cama de hospital.

Andamos deprimidos, stressados, enfadados e esgotados.

Hoje vivemos stressados com os problemas de amanhã esquecendo que o que é para acontecer, acontecerá, façamos o que fizermos.

Somos um país de campeões até na percentagem de população que toma ansiolíticos e tem o maior números de AVC.

Vivemos uma vida imperfeita, tão diferente daquela que o Criador sonhou para nós.

Mesmo assim continuamos a correr, perdendo o bom que os dias nos podem trazer, porque estamos demasiado ocupados na corrida.

Um dia paramos.
Terá válido a pena?

image.jpeg