Gratidão precisa-se.

Confesso que às vezes acho que a palavra obrigado não consegue exprimir tudo o que realmente pretendemos dizer.

Infelizmente também me atrevo a dizer que se tornará uma palavra que poderá facilmente cair em desuso.

Não seria de estranhar.. tantas outras palavras já caíram, numa sociedade tão pouco virada para os pequenos detalhes da boa educação.

A verdade é que somos cada vez menos gratos.

Quase como se tivemos permitido que nos convencessem que não precisamos agradecer por nada. O que temos, o que somos a nós o devemos.

Esta ideia de independência de tudo e de todos é apenas e só uma triste ilusão, que arrasta com ela uma série de ideias também elas completamente absurdas, de que uns são mais importantes, melhores e mais valiosos que outros e que cada um de nós se basta a si próprio.

Divagava eu neste assunto quando vejo uma noticia no jornal Público com o título “ A solidão faz mal ao coração. Literalmente.”

O artigo revela, entre outras informações,  que estudos anteriores já tinham associado a solidão a um sistema imunitário comprometido, pressão arterial elevada e até a morte prematura. Alerta ainda o estudo para o facto de solidão e isolamento poderem coexistir mas não serem a mesma coisa. A verdade é que podemos estar rodeados de pessoas e sentirmo-nos sós e estarmos completamente isolados e não sentirmos isso.

Vivemos numa sociedade onde temos pressa para tudo. O ritmo alucinante dos dias, rouba-nos anos de vida, rouba-nos tempo com os que amamos, rouba-nos tempo para nós mesmos, rouba-nos a saúde, a alegria e a serenidade.

Esquecemo-nos de agradecer, de olhar para os outros, de saudar, de orar uns pelos outros.

Esquecemo-nos de ser gratos pelo dia que nos foi concedido, pelo trabalho que tantas vezes nos sufoca, mas nos permite sobreviver monetáriamente, pelos alimentos, por todos os que nos amam e cuidam de nós.

Esquecemo-nos de promessas que fizemos, de planos que projectamos, de sonhos que deixamos nos fugissem entre dedos.

Esquecemo-nos de respeitar os outros e as suas diferenças.

Estamos cada vez menos gratos e mais sós, mesmo que o número de likes ou de amigos nas redes sociais nos tentem convencer do contrário.

A verdade é que temos muito pouco tempo, mas todas as oportunidades de mudar a forma como vivemos. Está nas nossas mãos aproveitar o tempo de maneira realmente útil.

Por tudo isto, dizer-vos que estou profundamente grata pela forma como receberam e acarinharam o meu blogue.

Que seja o inicio de um bela partilha entre nós.

Até breve.

L.O

tag-furo-coracao-obrigada-coracao

Anúncios

Porquê agora?

algodão

Se me perguntarem porque razão decidi criar um blogue neste momento, não saberei responder.

A verdade é que gosto de escrever. Gosto mesmo muito de escrever. Sou demasiado curiosa sobre as coisas que me rodeiam e quando algo, alguém, um gesto, uma música, um livro ou até um filme me comove ou inspira, torna-se difícil não o colocar por palavras.

Decidi por isso avançar..

Se quem decidir ler vai gostar, isso logo se verá..

Por agora apenas dizer-vos:

Olá, o meu nome é Lídia e acredito que o mundo é mesmo uma bola de algodão onde a doçura, a bondade, a generosidade, os sorrisos e o amor podem fazer realmente a diferença.

Até breve.

L.O