Em bicos de pés

roupas-de-bailarina-para-bebe-8

Se a vida é feita de opções, então escolho ser paciente.

A vida cobra demasiado aos impacientes, aos que andam sempre ansiosos, aos que de um dia para o outro querem tudo.

Ao longo de 38 anos a vida tem-me cobrado por causa da minha falta de paciência.

Frustração, lágrimas, dor, tudo tão desnecessário quando aprendemos a esperar e a acreditar pacientemente que tudo tem um propósito.

A verdade é que criamos demasiadas expectativas. Sonhamos muito, às vezes demasiado alto para a nossa estatura e queremos, a todo o custo, ficar em bicos de pés, como bailarinas, tentando chegar àquele lugar que tanto desejamos.

Mas às vezes não chegamos.. nem em bicos de pés.

Ficamos desiludidos, acreditamos que seria agora, porque merecemos, porque nos esforçamos, porque os outros conseguiram, porque faz sentido (mesmo que seja apenas para nós), porque sim.

E no meio de tanta ansiedade, de tantos planos, de tantos sonhos e tanta expectativa, de tantos porque eu ou porque não eu esquecemos de olhar para cima, lugar de todas as respostas.

Então se a minha vida é feita de escolhas, escolho lutar para ser paciente sempre que a vida  puxar o tapete debaixo dos meus pés.

A paciência carrega em si a serenidade de acreditar que tudo vai ficar bem, que as nossas feridas vão sarar, que os sonhos não realizados serão substituídos por outros que jamais ousamos sonhar.

Escolho ser paciente, mesmo que os meus sonhos nunca cheguem a ganhar a forma que sonhei.

Até breve.

“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.”

Eclesiastes 3:1 – Bíblia Sagrada

L.O

Anúncios

Amar os outros

Foi quando escrevi este texto na minha página facebook que senti que provavelmente seria giro criar um blog.

Nessa altura não avancei. Hoje faz todo o sentido que o partilhe aqui.

Espero que seja tão delicioso de ler como foi para mim poder contar-vos.

Até breve

19 Outubro 2015

Optei pelo comboio em vez do carro para ir trabalhar, por várias razões. Uma delas é poder ver com atenção coisas que de carro apenas consigo olhar sem prestar realmente atenção.
Apesar do rápido trajeto a paisagem é de cortar a respiração.
Com o passar dos dias comecei a reconhecer as pessoas que me acompanham habitualmente na minha viagem.
O senhor que deseja um bom dia a todos que estão na carruagem.
A miúda que todos os dias bebe um bongo e come uma sande de queijo.
O jovem invisual que se senta sempre no mesmo lugar.
A senhora de pele enrugada, que não mede mais de metro e meio e que com a sua alegria matinal enche aquela carruagem de boa disposição. Esta sra é sem dúvida a culpada de não estar a conseguir ler o livro que escolhi para me acompanhar nas viagens.
Não sei como se chama. Pelo que vou ouvindo percebi que a vida não foi meiga para ela, mas ela não perdeu a doçura, apesar de ser menina pra virar um homem do avesso se assim for necessário.
Vai sempre sentada virada pra frente pra não enjoar. Tem uma gargalhada muito bonita, daquelas que queremos ouvir mais. Quando chega a Campanhã começa a organizar as coisas pra se preparar pra sair na próxima. Olha para o jovem invisual. Conhecem-se do comboio pelo que percebi mas a ligação que criaram parece-me maravilhosa.
Paragem terminal: S. Bento.
Ele vai para junto da porta, ela aproxima-se.
-pronta para mais um dia? pergunta ele.
– vamos a isto, responde a olhar para ele de sorriso nos lábios.
Carrega no botão para a porta abrir e ajuda-o a descer.
Dá-lhe o braço e seguem caminho.
Percebi que ela sente que é essencial para ele naquele percurso mas a verdade é que ele sabe que é tão ou mais essencial para ela.
Ele tem quase o dobro do tamanho dela. Ela mais do dobro da idade dele. Seguem caminho sempre a rir e a conversar.
Acredito que através dos olhos dela ele tem visto coisas maravilhosas.
Acredito que de braço dado com ele a vida dela ganhou mais cor.
Fazem isto todos os dias.
Ganhei coragem e tirei-lhes uma foto porque sempre que os vejo me fazem lembrar que quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado, com certeza vai mais longe e há pessoas sem as quais o caminho não tem graça alguma.

L.O

 

12122683_918743018180434_4863730872045320951_n